Estado de Goiás ganhará Central de Alternativas à Prisão

Goiás começa a colocar em prática medidas para aprimorar o sistema prisional e dar celeridade aos processos e à situação dos presos provisórios. A implementação das audiências de custódia está prevista para o próximo dia 10 de agosto. O projeto, lançado em fevereiro pelo Conselho Nacional de Justiça em parceria com o Ministério da Justiça e o TJSP, garante a rápida apresentação do preso a um juiz nos casos de prisões em flagrante. Em Goiânia, as audiências serão presididas pelo juiz Oscar Neto.

Além disso, Goiás terá a Central de Alternativas à Prisão (Cap), uma ideia precursora dentro do cenário nacional, que alia medidas de aplicação, apoio e monitoramento de possibilidades distintas no que diz respeito às medidas carcerárias para o aprimoramento do sistema prisional. Por meio do Cap será possível propiciar a Justiça Social com a participação de assistentes sociais, psicólogos, bacharéis em Direito e Agentes de Segurança Prisional.

As medida foram apresentadas na última quarta-feira (29), em reunião entre a Corregedoria Geral da Justiça de Goiás (CGJGO), representada pelo juiz-auxiliar, Átila Naves Amaral, e representantes da Secretaria da Superintendência Executiva da Administração Penitenciária (Seap).

Para o Superintendente Executivo de Administração Penitenciária, Coronel Edson Costa Júnior, a preocupação neste momento é voltada para o tratamento dos presos provisórios. “Tenho certeza que a implementação desse instrumento será importante para a cidadania com reflexo positivo na questão da superlotação que enfrentamos hoje, mas também na implementação da lei e do que é previsto pela nossa legislação”.

De acordo com o coronel, a expectativa é de que o Estado de Goiás se torne referência. “O Estado de Goiás avança e será um referencial para o país de um modelo que realmente terá resultado positivo, tanto no tratamento do preso provisório quanto ao próprio sistema que vai ter uma nova configuração”, ressaltou.

Foi apresentado também como medida alternativa a utilização de tornozeleiras eletrônicas, que possui tecnologia através de sinal de GPS e dois chips com diferentes operadoras. Atender os feitos considerados urgentes e tornar mais célere as respostas no que diz respeitos e obrigações são alguns pontos que o juiz Oscar de Oliveira Sá Neto vai priorizar.

“Teremos um acréscimo substancial em número de processos que passaremos a cuidar mensalmente, mas temos a convicção de que nos esforçaremos ao máximo para atender as expectativas. A sociedade pode ter certeza que se buscará mais celeridade nas respostas aos direitos e obrigações que competem a cada um”, frisou o magistrado.

Audiência de Custódia
A ideia com as audiências de custódia é que o acusado seja apresentado e entrevistado pelo juiz em uma audiência em que serão ouvidas também as manifestações do Ministério Público, da Defensoria Pública ou do advogado do preso. O juiz analisará a prisão sob o aspecto da legalidade, da necessidade e da adequação da continuidade da prisão ou da eventual concessão de liberdade, com ou sem a imposição de outras medidas cautelares. O magistrado poderá avaliar também eventuais ocorrências de tortura ou de maus-tratos, entre outras irregularidades.

O projeto prevê também a estruturação de centrais de alternativas penais, centrais de monitoramento eletrônico, centrais de serviços e assistência social e câmaras de mediação penal, que serão responsáveis por representar ao juiz opções ao encarceramento provisório. A implementação das audiências de custódia está prevista em pactos e tratados internacionais assinados pelo Brasil, como o Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos e a Convenção Interamericana de Direitos Humanos, conhecida como Pacto de San Jose.

Com informações do TJGO

Read 1454 times
More in this category:

Pesquisar em Artigos

Calendário dos Artigos

« August 2019 »
Mon Tue Wed Thu Fri Sat Sun
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31  

Clipping Jurídico

Assine nossa Newsletter !

Quem Somos

A SKBR Advogados S/S fundou-se na década de 1960, tendo como idealizadora do projeto a renomada Dra. Wilma Abrantes Almeida Britto - OAB/GO 1.426 - que à época batizou o escritório como o nome ABRANTES BRITTO. Filha de Advogado, Dra. Wilma foi uma das Advogadas pioneiras na atuação em Direito de Família no Estado de Goiás.

Twitter Corporativo

Software Projurídico

Redux Diet Extra Forte - 02 Unid. https://t.co/Uf68i9iRED

Software Projurídico

O G Suite está a oferecer uma versão experimental gratuita de 14 dias. Inscreva-se através de… https://t.co/pwHIlHJbFq

Follow Software Projurídico on Twitter

Fale Conosco

Rua 105 , nº. 368

Setor Sul - Goiânia, GO

Cep.74.080-300

+55 (62) 3924 - 1717

+55 (62) 3251 - 2231

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.